Comunicados da Imprensa

O Presente Escondido

Mensagem dada por Nuno Campos, 2º Conselheiro na Presidência da Estaca de Luanda.

Quando vivemos nossas vidas com uma perspectiva eterna, percebemos que nossas bênçãos sempre superarão nossas provações.
 
                

 Certa vez, uma jovem que reclamou da vida para seu pai, comentando como as coisas eram difíceis para ela. A adversidade da vida a estava oprimindo, e ela queria desistir de tudo. Enquanto ouvia, seu pai encheu três panelas com água e as colocou sobre o fogão. Na primeira colocou fatias de cenoura; na segunda, ovos; e na terceira, grãos de café. Ele deixou a água ferver por alguns minutos e colocou cada item na frente dela.
O pai pediu que a filha experimentasse as cenouras. Ela pegou um pedaço e esmagou entre os dedos. Ele, então, pediu que ela examinasse o ovo.
Ela pegou um, quebrou a casca e viu que ele estava bem cozido por dentro. Finalmente, ele pediu que ela tomasse um gole de café. Ela sorriu ao provar seu rico sabor.
– O que significa isso? – perguntou a filha.

– Cada ingrediente – falou o pai - foi sujeito à mesma situação, que foi a água fervente, mas cada um reagiu de maneira diferente. As cenouras eram duras, mas após serem cozidas ficaram moles. O ovo era frágil, com uma fina casca externa e seu interior era líquido, mas depois de passar pela água quente mudou e ficou duro. Os grãos de café mudaram pouco, porém “melhoraram” o sabor da água.

A vida é cheia de adversidades, e muitas vezes não temos como fugir. Certamente no mundo de hoje vemos provações em cima de provações. Uma pandemia global. A morte de entes queridos, furacões, terremotos, enchentes, racismo, desemprego, caos, etc. Podemos ser amassados por elas. Podemos permitir que elas nos deixem mais rígidos. Ou podemos tirar o melhor delas, melhorando a situação. Mesmo sendo difícil, temos o poder da escolha.

Então, qual deles é você? Quando enfrenta uma adversidade, um problema, como você reage? Você é como uma cenoura, como um ovo ou como os grãos de café?

Aprendemos no guia das escrituras que por meio da adversidade – testes, problemas e aflições – o homem pode viver muitas experiencias que o levam ao crescimento espiritual e progresso eternos, buscando o Senhor. Isto é semelhante ao processo de transformação da grafite em diamante, que carece da aplicação de pressões e temperaturas enormes. Sem estes pequenos momentos de pressão e temperatura elevada, como poderemos ser os diamantes brilhantes que devemos ser? O Senhor esta e estará sempre connosco. Nunca estamos sós - “Sê paciente nas aflições, pois terás muitas; suporta-as, contudo, pois eis que estou contigo até o fim dos teus dias. “ (Doutrina e Convênios 24:8).

O desespero, o medo, e todos os sentimentos semelhantes surgem no momento que perdemos a visão eterna do processo de transformação divina que nos foi presenteado por nosso Pai Celestial, a fim de podermos vir a ser como Ele é, e que na verdade, são apenas pequenos momentos com bênçãos disfarçadas e lições escondidas. E como poderemos reconhecer e preservar a nossa perspectiva eterna? Simples…sendo gratos. A gratidão permite reconhecermos a mão de Deus em todas as coisas, e é um dos ingredientes principais para uma vida de abundancia espiritual e alegria intocável. Os anseios se esvanecem, o passado é visto como uma biblioteca de lições e aprendizado; o futuro como uma fonte de esperança e oportunidades; e o presente vivido como um presente forjado pelas mãos do Pai Celestial.
Para retermos este sentimento, permitam-me partilhar três sugestões:

Amplie a sua visão
Comparada a expiação de Cristo, todas as nossas dores, sacrifícios e dificuldades são insignificantes. Somos ensinados a sermos felizes acima de tudo. E assim será, se aceitarmos os frutos que advêm do agarrar a barra de ferro diligentemente, e vivermos da palavra de Deus diariamente com esforço e caridade. Pois quando vivemos nossas vidas com uma perspectiva eterna, percebemos que nossas bênçãos sempre superarão nossas provações.
“Sugiro que vejamos a gratidão como uma disposição, um modo de vida que independe de nossa situação atual. Em outras palavras, estou sugerindo que, em vez de sermos “gratos por coisas”, devemos concentrar-nos em ser “gratos em nossas circunstâncias” — sejam elas quais forem.” – (Gratos em Quaisquer Circunstancias, Conferencia Geral, Abril 2014, Élder Dieter F. Uchtdorf).

Entenda que as adversidades nos moldam
Quantas de nossas melhores características aprendemos através da adversidade? Acredito que a maioria delas. “Meu filho, paz seja com tua alma; tua adversidade e tuas aflições não durarão mais que um momento; E então, se as suportares bem, Deus te exaltará no alto; triunfarás sobre todos os teus inimigos. “ (Doutrina e Convênios 121:7 – 8).

Encontre o presente escondido
Muitos de nós estamos a passar por problemas neste momento. E vemos o mundo a nossa volta cheio de medo, raiva, confusão e desesperança. Porém, triunfamos sobre essas emoções e somos uma luz para que outros possam seguir, pois conhecemos a fórmula. Só precisamos ter determinação e fé para segui-la. Ao passarmos por tudo isso, o Senhor nos oferece uma paz mais poderosa do que o pânico.
“Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize” (João 14:27).
Em sua mensagem proferida na Conferência Geral de 1997, o Élder Maxwell ensinou com grande autenticidade: “Ao confrontarmos nossas próprias (…) provações e tribulações, também podemos suplicar ao Pai, como fez Jesus, que ‘não [queremos] (…) recuar’ — que significa retroceder ou retrair (D&C 19:18). Não recuar é muito mais importante do que sobreviver! Além disso, partilhar da taça amarga sem que nos tornemos amargos também faz parte de nosso empenho de imitar o que fez Jesus”. E como ensinou o Élder Russell M. Nelson, do Quórum dos Doze Apóstolos: “Vivemos para morrer, e morremos para viver de novo. Da perspectiva eterna, a única morte que é realmente prematura é a de alguém que não está preparado para encontrar-se com Deus”. Uma perspectiva eterna é parte da paz que o evangelho pode nos proporcionar.
O Senhor nos conhece. O Senhor nos ama. E o Senhor quer nos ajudar. Calamidades e adversidades virão, mas não precisamos temê-las. Se estivermos dispostos a ser guiados e pedirmos Sua orientação, o Senhor por meio do Espírito Santo nos ajudará a preparar-nos para quaisquer situações, a sobreviver a elas e a reerguer-nos.
Em nome da Presidência da Estaca estendo o nosso amor e preocupação genuína por cada um de vocês, pois juntos somos um em Cristo, e uma Família Eterna. Somos parte da história da família do Pai celestial. Presto meu testemunho que Ele vive, e que Ele nos ama vigorosamente. O Seu amor nunca falha. Jesus Cristo é o Mestre, e o Senhor de nosso coração, mente e força, se o permitirmos. Nas escrituras encontramos o seu caracter, e a alegria da fonte da água eterna que advém do copiarmos os Seus passos. Ele é o nosso maior exemplo, e a sua palavra nunca falha. Eu creio nisto com todo o meu coração. Em nome de Jesus Cristo, amém.

Observação de Guia de Estilo:Em reportagens ou notícias sobre A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, por favor utilize o nome completo da Igreja na primeira referência. Para mais informações quanto ao uso do nome da Igreja, procure on-line pelo nosso Guia de Estilo.